Borboleta Azul

Borboleta Azul

Borboleta 200x253“Que nos seja dado o direito de sonhar. Que possamos experimentar o sabor do vento no rosto e das águas gélidas do riacho. Que possamos: sentir o cheiro das mais delicadas flores, pisar no barro, subir montanhas e descobrir um pouco mais de quem realmente somos. Que possamos viver o que nem sonhamos, dizer o que nem pensamos e espirrar gargalhadas de alegria por termos vivido muito mais do que imaginamos.

Objetivo
O programa Borboleta Azul consiste em um curso para jovens com deficiência intelectual com o objetivo de torná-los mais preparados para a vida a medida que desenvolve sua autonomia e autoconfiança.

Estrutura
Atividades preparatórias desenvolvidas na instituição, encontro prévio em um parque urbano próximo e um curso no formato expedição em área remota na região de Campos do Jordão, durante 4 dias e 3 noites.

Desenvolvendo autoconfiança
Em campo são desenvolvidas atividades desafiadoras para os jovens que poucas vezes tiveram alguma experiência longe do núcleo familiar. As atividades permitem que o indivíduo saia da sua zona de conforto e passe a acreditar que ele pode muito mais do que pensava que podia. Ele passa a lidar melhor com seus medos. Os jovens realizam atividades como: caminhar em áreas remotas, dormir em barraca, atividades com cordas altas em árvores, caminhadas fisicamente exigentes de ataque ao cume de uma montanha.

Desenvolvendo autonomia
No curso os instrutores começam fazendo todas as atividades e ensinando todas as técnicas necessárias. Na progressão, os instrutores passam a ficar cada vez menos ativos, dando oportunidade de liderança para os alunos. Neste momento eles começam a aplicar sozinhos as técnicas ensinadas, ex: aula de técnica de cozinha ao ar livre com participação ativa dos jovens e nos últimos dias do curso autonomia para que conduzam todo o processo das refeições sozinhos; aula de montagem de barracas, posteriormente montam sozinhos; aula de técnicas de mínimo impacto e como cuidar do lixo; posteriormente fazem sozinhos.

Pequenas ações que mobilizam o dia-a-dia da expedição aos poucos são assumidas por eles permitindo que desenvolvam habilidades de fazer todas as ações de forma independente e realizar as atividades sem a facilitação dos instrutores no final do curso.

Desenvolvendo a habilidade da comunicação
Reflexões diárias: de acordo com a metodologia aplicada no curso, toda ação é seguida de reflexão. Toda e qualquer atividade é seguida do que chamamos de debriefing, onde o aluno relata como foi a experiência dele e quais os aprendizados obtidos.

Comunicação em atividades em grupo: necessidades do aluno ter que se comunicar com os outros em atividades do grupo que já estão sendo executadas sem a participação dos instrutores. Muitas vezes é a primeira vez que esses alunos exercem sua liderança e se vêem no papel de ter que se comunicar com os outros.

Realização de atividades específicas que induzam a prática e a reflexão sobre o tema Comunicação Ex: criação da pulseira de contas. A conta verde representa comunicação e a conta azul iniciativa. No final de cada encontro e ao final de cada dia na expedição, o aluno tem que refletir se merece pegar 1 das contas ou as 2 se teve alguma atitude em relação a Iniciativa ou Comunicação. O aluno fala, exemplifica, e o grupo valida se ele pode ou não pegar a conta. Esta é uma forma de fazer um acompanhamento bem próximo do aluno para entender o grau de compreensão/ interiorização e aprendizado que ele tem sobre os dois temas.

Desenvolvendo a habilidade da inciativa
A estrutura do curso por si só encoraja o aluno a ter iniciativa em realizar tarefas básicas para garantir o seu bem estar. No campo, a conseqüência de seus atos é vista e sentida imediatamente, e é sentida pelo aluno e pelo grupo, pois impacta no conforto e bem estar de todos. Por exemplo: se você não arruma sua barraca bem, uma tempestade pode vir e derrubá-la. Se você não lava suas mãos antes de comer, pode adoecer e/ou passar doenças para os outros.

Também como parte da estrutura do curso, para uma série de atividades é colocado um tempo para que o grupo se organize e esteja pronto. Assim, cada um precisa assumir uma tarefa espontaneamente para que o grupo consiga seguir rumo ao objetivo proposto. Se o aluno não tem iniciativa, alguém do grupo irá cobrar para que ele “se mexa”.

Realização de atividades que induzam a prática e reflexão sobre o tema Iniciativa, como a atividade da pulseira, já anteriormente explicada com o tema Comunicação.

 

Assine a Newsletter

 * campos obrigatórios
 

Nossa sede no Brasil

Fale com a gente

©2019 Outward Bound Brasil. Todos os direitos reservados.

Pesquisar